Trabalhos Aprovados

Granulomatose eosinofílica com poliangeíte e mononeurite múltipla: um relato de caso



Autor(es): Kurmann AC; Wagner AG; Gelain AP; Scortegagna GC; Gregory G; Lui JM; Zaffari JVDB; Volpi LM; Lubbe MMF; Birck MS; Eisenreich MA; Surkamp N; Martio TM; Kuiava VA;
Apresentador(a): Ana Claudia Kurmann

Introdução:A Granulomatose Eosinofílica com Poliangeíte (GEPA) é uma condição envolvendo asma, hipereosinofilia e vasculite necrotizante1. É uma doença rara, com prevalência de 10,7 a 14 casos por milhão de habitantes2. É classificada como vasculite associada aos anticorpos citoplasmáticos antineutrófilos (ANCA), presente em 40% dos casos2,3. A idade média de acometimento é aos 48 anos, sem preferência por raça ou sexo4. A sintomatologia é heterogênea e difere ao longo das fases da doença, sendo as neuropatias sinais comuns da fase eosinofílica2,5. O diagnóstico é clínico, baseado nos critérios do American College of Reumathology (ACR): asma, eosinófilos > 10%, neuropatia, infiltrados pulmonares migratórios, alteração em seios paranasais e biópsia com eosinofilia extravascular5,6.Objetivos:O presente relato visa discutir o caso de paciente que apresentou mononeurite múltipla (MNM) como primeira manifestação de GEPA.Relato de caso:Paciente masculino, 31 anos, apresentou púrpuras em membros inferiores (MI), paresia e parestesia assimétricas, que evoluiu para membros superiores (MS), com piora progressiva. Apresentou poliartralgia, proteinúria, eosinofilia (56%), VSG e PCR elevados, ANCA não reagente. A eletroneuromiografia (ENM) evidenciou MNM em MS e MI. Realizou biópsia de pele que apresentou dermatose eosinofílica com infiltrado eosinofílico perivascular, perianexial e intersticial. Em seu histórico possui colite isquêmica. Diagnosticado com GEPA, iniciou o tratamento através de pulsoterapia com metilprednisolona por 3 dias e ciclofosfamida intravenoso mensal. Após suspender inadvertidamente o tratamento, apresentou exacerbação grave da doença com crise asmática e cavitação pulmonar em ápice esquerdo, obtendo melhora após nova pulsoterapia com metilprednisolona e reinicio da prednisona oral. Devido gravidade da doença optou-se por manutenção com rituximabe, azatioprina e prednisona. Discussão:A MNM é uma manifestação comum nos pacientes com GEPA e é causada pela inflamação da vasa nervorum, confirmada através de exames de ENM2-4. A positividade do ANCA é um fator que favorece essa condição, enquanto a sua ausência relaciona-se com casos de miocardite3,4. O caso apresentado difere-se por manifestar neuropatia sem a presença do anticorpo.Conclusão:A GEPA é uma vasculite rara de pequenos e médios vasos associada ao ANCA. Sua clínica pode ser variada, sendo a MNM uma das manifestações mais comuns. O tratamento é através de corticoterapia e imunossupressores.


Palavras-chave: Granulomatose Eosinofílica com Poliangeíte; Vasculite; Mononeurite múltipla

[voltar]

Fique atento
às datas principais


12

AGOSTO

2020

Terceiro vencimento para inscrições com desconto! Aproveite!

20

AGOSTO

2020

Restam12 dias para que você envie seu resumo!

Trabalhos Científicos

Veja aqui os trabalhos
aprovados.

SAIBA MAIS

Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS